Parar de fumar agora: os benefícios dessa escolha

Já classificado pela Organização Mundial da Saúde (OMS)como a principal causa de morte evitável no mundo, o tabagismo é um grave problema de saúde pública. O hábito de fumar causa dependência, diminui – e muito – a expectativa de vida do indivíduo, causa envelhecimento precoce, prejudica o pulmão e o coração, danifica o paladar e olfato, enfraquece o físico, além de causar impotência sexual.

Apesar dos riscos e das intermináveis campanhas de combate ao fumo, estima-se que uma grande parcela da população mundial ainda é constituída por fumantes. Dados coletados pela Universidade de Washington estimam que 31% da população masculina e cerca de 6% da feminina era fumante em 2014. No Brasil, os números são mais animadores que na média global: pesquisa da Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas revela que a porcentagem de tabagistas no país não chega nem a 11%.

Geralmente, o hábito de fumar tem início na juventude e é motivado por fatores que vão desde a necessidade de aceitação em determinados grupos sociais à rebeldia que é cega aos riscos do fumo. Depois dessa fase em que o cigarro é um passatempo ou um companheiro nos momentos de ansiedade, percebem-se os efeitos negativos da nicotina no corpo. Mas como largar o vício?

Parar de fumar é um desafio

Perdendo apenas para a heroína e a cocaína, a nicotina é a terceira substância mais viciante do mundo e pode causar crises de abstinência tão intensas quanto as experimentadas por quem está tentando largar drogas ilícitas. Felizmente, o desafio vale a pena. Parar de fumar proporciona benefícios que tem início já nos primeiros minutos após o último cigarro.

Benefícios imediatos: minutos e horas depois

Poucos minutos depois que apagar o último cigarro, o coração do indivíduo já volta àscondições de batimentos normais. Ficando oito horas sem fumar, os níveis de nicotina no corpo do tabagista caem bruscamente, podendo alcançar uma queda de até 90%. Após doze horas, há um aumento nas reservas de oxigênio disponíveis para o corpo.

Poucos dias e semanas depois: saúde na rotina

Muito prejudicados pelo fumo, paladar e olfato já começam a voltar ao normal após dois dias sem nicotina. Os resíduos do cigarro vão sendo eliminados pelo corpo e agora o indivíduo consegue sentir cheiros e sabores como há muito tempo não conseguia. Três semanas depois de parar de fumar, o corpo entra em um estado regenerativo mais avançado e a respiração ocorre com mais facilidade. Por exemplo, subir um lance de escadas já não é tarefa tão difícil.

O primeiro ano sem cigarro

Em dois meses de desintoxicação do cigarro, o sistema imunológico já se vê fortalecido. A tosse, que tanto incomoda os fumantes, tende a desaparecer no terceiro mês sem nicotina, sendo um dos benefícios mais facilmente observados pelos ex-fumantes. Além disso, completando um ano sem fumar, os riscos de infarto começam a diminuir devido à normalização da pressão arterial e pulsação do coração.

Um futuro promissor: benefícios a longo prazo

Dez anos depois de parar de fumar, o risco de oex-fumante ter câncerjá é semelhante à probabilidade de desenvolvimento da doençapor quem nunca fumou. No 15º ano sem cigarro, as chances de desenvolver problemas cardíacos também se nivelam aos que se tinha antes do vício em nicotina.

Quanto mais jovem uma pessoa para de fumar, maior é o acréscimo de anos em sua taxa de expectativa de vida, mas nunca é tarde. Alguns especialistas afirmam, por exemplo, que ao deixar o cigarro aos 60 anos, uma pessoa tem um ganho de cinco aniversários em sua trajetória.

Cuidar da saúde sempre vale a pena!

Para o acompanhamento completo da saúde da sua família, procure a Clínica di Paula. Entre em contato pelo telefone (61) 3382-7494 ou por e-mail contato@clinicadipaula.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

//]]>