Enxaguante bucal: vantagens e desvantagens

Escova de dentes, fio dental e enxaguante bucal: esse é o trio que a muitos brasileiros usam para fazer a higiene bucal diária. Quem não gosta daquela sensação boa de frescor e limpeza que permanece após o uso do enxaguante bucal? Muitos dentistas indicam o uso do enxaguante como um aliado na prevenção de cáries, placa bacteriana (que é uma das principais causas de inflamações da gengiva), mau hálito e gengivite. Mas, como sabemos, tudo aquilo que é usado em excesso pode ser prejudicial ao corpo, então é preciso tomar um certo cuidado no uso indiscriminado dos enxaguantes, principalmente quando se opta por aqueles que contém álcool em sua composição.

Os anti-sépticos são divididos em quatro tipos: a base de gluconato de clorexidina, óleos essenciais (eucalipto, mentol e salicilato de metila), flúor e cloreto de cetilpiridínio.

De acordo com pesquisas recentes, os produtos a base de óleos essenciais apresentam um melhor resultado no combate à placa bacteriana, comparados aos outros tipos de anti-sépticos bucais. Além disso, podem reduzir a incidência de gengivite em até 35%. No entanto, eles possuem também uma alta concentração de álcool, o que é prejudicial aos dentes.

O uso de enxaguantes contendo álcool não é recomendado. A concentração de álcool em alguns produtos pode chegar a até 21%, o que pode provocar irritações e lesões na mucosa bucal. Além disso, o álcool também afeta a superfície das resinas, deixando-as mais porosas. Dessa forma, os corantes de alimentos podem se penetrar com maior facilidade nas resinas de restaurações já feitas nos dentes, causando a alteração da coloração das mesmas, prejudicando a estética do sorriso.

Uma das vantagens do uso de enxaguantes bucais é o controle da placa bacteriana. Eles são o melhor controle químico que auxilia a combater o problema. No entanto, o controle mecânico, que é feito através da escovação e uso do fio dental, ainda é melhor frente ao controle químico. Lembre-se: o enxaguante bucal não substitui a escovação dos dentes, devem ser tratados como um complemento à escovação tradicional.

Segundo Eduardo Saba Chujfi, profissional e professor de odontologia em entrevista à Revista Época(™), o uso de enxaguantes com o princípio ativo da clorexidina requer cuidado redobrado, e indica que o uso do produto seja feito apenas mediante a indicação de um especialista. Geralmente, é usado apenas em casos onde haja uma doença periodontal, uma vez que tem melhor resultado no combate à placa. O uso do produto requer muito cuidado, uma vez que seu uso prolongado pode provocar manchas escuras nos dentes e até mesmo perda temporária do paladar.

O ideal é sempre visitar o dentista regularmente. O dentista que lhe acompanha, conhece seu histórico de tratamentos é quem saberá melhor dizer qual o produto mais indicado para você. Além disso, poderá lhe sugerir produtos que lhe auxiliará a se prevenir de possíveis doenças e problemas bucais. A maioria das pessoas vai ao dentista apenas uma vez por ano, enquanto o ideal é fazer pelo menos uma visita a cada seis meses.

E lembre-se: a escovação correta é forma mais eficaz de combater a placa bacteriana, manter a saúde bucal!

Para o acompanhamento completo da saúde da sua família, procure a Clínica di Paula. Entre em contato pelo telefone (61) 3382-7494 ou por e-mail contato@clinicadipaula.com.br

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

//]]>